domingo, 21 de março de 2010

coisas que eu não faço mas que às vezes me apetecia mesmo fazer porque há pessoas insuportáveis.

eu não me importo que as pessoas reclamem. nada disso. aliás, eu reclamo imenso. importo-me sim que as pessoas não saibam reclamar. porque saber reclamar, podem não acreditar, é uma arte. reclamar porque o bife está mal passado, quando me pediu para ser tipo sola, é mais do que justo. mas não é preciso histerismos. é só um: ah e tal isto não 'tá bem não se importa. claro que não. e se ainda me disser aquela que eu adoro do: eu sei que a culpa não é sua então se calhar ainda lhe faço um desconto pelo erro. agora se vamos entrar por outro caminho a coisa fica mais difícil. para mim e para o cliente. ou seja, complica a vida a todos por isso parece-me que não vale a pena. como o outro senhor que me chamou quando eu estava no lodo* para me dizer que queria outro café porque o seu tinha um bocadinho de ...café. foi assim mesmo que ele me disse: olhe lá traga-me mas é outro café porque este tem aqui café. como não olhou para mim nem por um segundo não viu a cara que eu fiz de não estou bem a perceber. mas depois percebi: a sua chávena tinha uma pingo de café a escorrer. aquela pinga que normalmente escorre quando se tira um café sem grandes preciosismos. tenho treinado horas a fio para tirar cafés com a chávena imaculada: continuo a falhar algumas.
reclamar por tudo e por nada, reclamar quando se sabe que não se tem razão ou reclamar com maus modos é mesmo muito chato. a evitar, portanto. além disso há aquela velha máxima do "don´t mess with people that handle your food". não é que eu alguma vez tenha tirado proveito do facto de ter acesso àquilo que as senhoras tias metem na boca. nada disso. o pior que já fiz foi pedir ao chefe para não ter pressas. eu sei: não é bonito deixar as pessoas à espera, mas isto também é só para aqueles que depois de reclamarem comigo- que até fui tão prestável- porque a cozinha fez uma asneira ainda me atiram com o simpático será que conseguiu perceber? percebi muito bem: deixa-te estar sentado para não te cansares.
por isso se tem medo de reclamar porque acha que vamos, sei lá, cuspir para o seu prato ou porque vamos acidentalmente deixar cair o seu bife no chão, aviso já que é muito pouco provável que isso vá acontecer. é mais um mito que outra coisa. mas ainda assim, reclame com modos, não vá o diabo tecê-las.
*lodo- quando o restaurante está tão cheio que não sabemos por onde havemos de começar.

23 comentários:

Angelo disse...

Mais um óptimo texto e concordo contigo!
Eu também reclamo, mas sei fazê-lo! E olha que sou muito exigente no que toca a restaurantes...

Anónimo disse...

Excelente o teu comentario.
Tambem sou empregado de restaurante e sei o que isso é!!!
Ps:Descobri o teu blogue hoje no correio da manha e vi logo ver..esta optimo!!! beijinhos.

kuka disse...

Li todo o blog e achei piada porque essa é mesmo a realidade do serviço de restaurante. Só não me revejo no mau feitio do chef. Tenho de ser eu a contar até 30 ou 40 porque senão fico sem empregados para servir as mesas.

Torpedo disse...

Psst ó menina, o seu teclado não tem tecla shift? Sabe que a seguir a um ponto e no início dos parágrafos deve escrever uma letra maiúscula? A menina desculpe a reclamação, mas li uma entrevista na Timeout em que disse que queria ser jornalista e que gosta de escrever. Pode começar por fazer essa correcção.

Cultura AL - gharb disse...

Os meus parabéns, pelos excelentes textos que aqui escreves. Nasci numa familia de hoteleiros e sei o quanto é desgastante, mas tb muito hilariante. Fugi da hotelaria, mas queira ou não ela está me no sangue e por muito que fuja de vez em quando la volto a ela. Ao ler os teus textos é como estar a reviver episódios que vivi. Mais uma vez parabens e continua a deliciar nos com as tuas aventuras

Ana disse...

É tudo uma questão de estilo, sr. Torpedo...

c disse...

Bem, perante uma ameaça velada, ficamos meio intimidados, mas sabendo que vem de si, até essa ameaça ganha beleza.

Parabéns por este guia prático da reclamação

Anónimo disse...

Sr. Torpedo desculpe la mas você faz mesmo parte desse grupo de pessoas completamente INSUPORTÁVEIS.. Parabéns Menina pelo sucesso alcançado e pela boa escrita!!

Anónimo disse...

Lá porque o Sr. Torpedo não gosta do estilo literário da Menina, isso não o torna uma pessoa insuportável.
Vamos ser tolerantes e responsáveis, para que este blog seja um local de divertimento, convívio e reflexão.
Tomei hoje contacto com o blog e adorei. Pena é que a Menina não tenha tempo para escrever mais. Talento, e motivo, não lhe faltam. Continue.

Adoroler disse...

Pssht ó menina: os meus sinceros parabéns por todo o blogue. pelos temas, pelos textos, pelos princípios, pelas atitudes...por (quase)tudo, enfim!
E digo "quase" porque, como sabe, ninguém é perfeito, e de facto eu não gosto da ausência das maiúsculas no início das frases. É meramente uma questão de gosto pessoal, mas cansa-me a leitura de textos que não utilizam os sinais gráficos para demonstrar a entoação das frases. Tenho consciência de que hoje em dia tudo é permitido ao nível literário e já percebi pela forma como escreve que, de facto, escreve muito bem e a ausência de maiúsculas será uma opção pessoal de estilo.
Digo-lhe isto na certeza de que acolherá bem qualquer crítica ao seu trabalho.
Resta-me assegurar-lhe que não é por causa das maiúsculas que vou deixar de me deleitar com a leitura regular do seu blogue.
Bom trabalho! Continue assim!

Anónimo disse...

Já que uns resmungam das maiúsculas, eu aproveito para corrigir um erro que, tanto quanto li, lhe é frequente.
Ao escrever "há uns dias/meses/anos/qualquer coisa", o "atrás" que adiciona é desnecessário.
Se foi há uns dias - ao menos acertou no agá, coisa rara! -, claro que foram "atrás".

carlos disse...

Menina, como vês, não é só no restaurante que é difícil aturar os impertinentes.

Mas numa coisa coincidimos: este blog é uma frescura.
Obrigado!

maria jose prieto disse...

Parabéns! está muito giro o seu blog.Também sou empregada de mesa, e realmente apanhamos cada um...às vezes fazem as perguntas mais disparatadas que se possam imaginar, sorte e que parece que nós temos à vontade suficiente para saber contornar isto, até breve

José Dias disse...

Vais apanhar muito mais aventuras dessas, Menina! O serviço de mesa requer muito o relativizar de muitas situações... é um crescimento e é o aprender a dar a cara pelo restaurante. Gostei muito do teu blog, beijinhos de um cozinheiro. :)


http://zecozinheiro.blogspot.com

João disse...

Descobri este porque a minha namorada mostrou e tenho que admitir que é engraçado ver como as coisas são expostas aqui, e são verdades. Eu só trabalhei um mês num bar e aff, as pessoas tornam-se tão irritantes com a mínima coisa a que tem direito. "Oh chefe tire ai sem espuma se faz favor" *tira-se a imperial sem espuma nenhuma* "Pode por um bocadinho de espuma?"

Epah, cum catano que existem pessoas metem raiva xD

xuxidiva disse...

RULE # 1 : NEVER SEND ANYTHING BACK!!!
I obey this rule, at least here in the States, onde não há ASAE, só há azares!!

taniah disse...

Há dias que se tem que fazer das tripas o cração, não é? Eu também pertenço a o teu clube. :)

Anónimo disse...

Parabéns e continua assim "menina". Trabalhar em hotelaria não é fácil, mas ler textos assim é o máximo! =)

Boa sorte do V

lânternamágica disse...

muito obrigado amiga...fazes me ter imenso gosto pelo que faço, transmites me imenso gosto por esta profissão. Ainda bem que escreves assim , por algum motivo vinhas na revista que sai com o correio da manhã de domingo. tudo tudo tudo de bom para ti na tu avida profissional e pessoal. Um abrçao sincero

papoila disse...

Menina,
Este blog é mesmo bom!
Escreves de uma maneira muito apelativa, contas coisas com graça e ainda por cima ensinas-nos uma nova profissão!
Vou continuar a seguir-te.

Ps: qualquer que seja a profissão não há nada como respeito e boa educação.
xx

xiclet disse...

Mas é mesmo!! Não me custa nada atender aquela senhora que me pede um garoto com muuuuito pouco café, "só umas gotinhas", com leite muito muito quente, com espuma (creme de leite - não é bolhinhas) com chocolate em pó por cima e 2 adoçantes; nem fazer torradas com manteiga dos dois lados numa só fatia e de um só lado numa fatia e sem côdea. mesmo no lodo isto não me chateia. mas fico meio verde quando depois de dar o meu melhor - depois de quedas, nódoas negras, loiça partida, choro e desespero ("mas tu não disseste que não havia mozzarela! e é aquela cliente difícil") - me respondem torto e descredibilizem o meu trabalho e o trabalho dos meus colega.
contar até dez. sorriso. "Concerteza.."

Felizmente há clientes que pagam tudo isso. E não estou a falar de gorgetas estou mesmo a falar de reconhecimento pelo nosso trabalho. É cliente que nunca esquecemos. E isso não tem preço. :)

Andreia disse...

pá eu arrisco mesmo dizer que, quem vier pra'qui reclamar que vá dar a volta ao bilhar grande, porque já não deve chegar ter paciência pa voces no nosso local de trabalho, quanto mais num blog onde na minha opinião como leitora, só são bem vindas pessoas 1) com bom senso para reconhecerem onde falham e tentarem corrigir-se; 2) colegas de profissão com historias engraçadas ou outras quaisquer; 3) pessoas que tenham algo de jeito a acrescentar.
Quem me dera ver as vossas caras, a sério. Seus chatos do c******. Acho que o que faz falta a muita gentinha é fazer mais vezes o amor pa andarem melhor com a vida.
Desculpem os modos.

HF disse...

No restaurante onde trabalho tivemos um infeliz cliente que decidiu dizer que a sobremesa era um nojo, eu muito discretamente levei a sobremesa td desfeita para a cozinha e não disse nada. voltei a mesa para perguntar se queriam mais alguma coisa quando o cliente me pede o livro de reclamações e que queria ensinar o chefe a fazer aquela sobremesa. Rabinho entra as pernas foi dizer isto ao chefe, que também é o proprietario, bem este mete o livro debaixo do braço e a colher de pau na mão e desanca o cliente e pregunta-lhe "Voce pensa que é quem para vir a minha casa ensinar-me a fazer o meu trabalho???". conclusão trataram-se todos os nomes, o cliente não fez reclamação e agora é cliente habitual.
Abraxos