sábado, 31 de julho de 2010

o que é que vai ser, hã ó imbecil?

eu sou uma miúda simples: visto calças de ganga rotas, vou de havaianas para todo o lado e gosto de comer em tascos. gosto de coisas simples e poucas formalidades. mas odeio, odeio mesmo, que pessoas que nunca me viram antes me digam . especialmente quando estou a trabalhar.
quando eu pergunto a um cliente se gostou do prato não gosto que ele se vire para mim e diga: hã?! ou quando eu pergunto ao cliente se vai querer sobremesa irrita-me que ele olhe para mim e diga: hã?. às vezes nem é o hã, é o tom. mas é uma implicação minha. não gosto de hãs. gosto de desculpe. gosto de diga. gosto de não percebi.
e quem me diz hã normalmente sai a perder. como aquele senhor que fazia anos e levou os amigos a jantar. fui ter com ele quando acabou e perguntei-lhe se lhe podia oferecer um digestivo. ao que ele respondeu: hãã?! - então? hã?! e era de graça meu. perguntei se queria mais alguma coisa.- respondi. ele pediu um beirão e um café. conclusão: o hã ficou-lhe por 4 euritos.
às vezes também há pessoas mal-humoradas que são malcriadas sem necessidade nenhuma. como aquele que entrou no restaurante com a mulher. mesa para dois?- perguntei. não, p'ra 25.- respondeu ele com aquele tom de voz conhecido como o tom mete nojo. se eu dissesse tudo o que me vem à cabeça- o que seria lindo de se ver- naquela altura teria perguntado àquele senhor que mal é que eu lhe tinha feito. é que apesar de me estar a ver pela primeira vez respondeu-me como quem responde à esposa ao fim de 26 anos de casamento. e isso não se faz.
confesso que antes de trabalhar em restauração não imaginava que houvesse no mundo, ou pelo menos em lisboa, tantas pessoas com falta de maneiras. pessoas que tratam as outras mal gratuitamente, no primeiro contacto. pessoas idiotas, basicamente.
um exemplo de pessoas que nunca ficam satisfeitas com aquilo que lhes é dito de boa vontade: um zé pediu-me uma sobremesa. ora, quando me pedem alguma coisa que demora mais tempo que o normal tenho sempre o cuidado de avisar. mas, às vezes, até por isso sou maltratada. é do conhecimento geral- ou não- que um coulant, vulgo petit gateau, demora algum tempo a fazer. se for ao forno, porque também há aqueles do pingo doce que uma gaja mete no microondas e em 20 segundos 'tá feito. o nosso não é desses. precisamente por isso avisei o senhor e a sua família que a sobremesa demora cerca de 15 minutos a sair porque é caseira e tem de ir ao forno. ao que ele, incomodado, respondeu: olhe menina, quem pedeee um petit gateau, sabeee o que é um petit gateau. não me está a ensinar nada que aqui não há ignorantes.
ai não? podia jurar que sim.

38 comentários:

MRPereira disse...

Realmente há malta com a mesma sensibilidade de um elefante dançarino no meio da loja da Vista Alegre!

E com jeitinho, até já me serviste e tudo e eu nem sei! Só espero nunca te ter tratado menos bem! Se há coisa que detesto é pessoas que são indelicadas com empregados. Mas há dias em que não é fácil...

Kiss kiss

Rafael Santos disse...

"OI?" junta-se ao "Hã?" ou ao atirar de moedas para pagar um bilhete, e tudo junto resume-se ao habitué num dia de trabalho também nos transportes públicos de Lisboa.

Quantas e quantas vezes já me vi também nessas situações, não por trazer a sobremesa mais tarde, mas em muitos dos casos por estar um pouco atrasado porque simplesmente algum imbecil decidiu deixar o carro em cima da linha do eléctrico, e se lhe tento explicar o atraso,a resposta é logo «estiveram mas foi na conversa no terminal...»

Burro velho não aprende novo e a conclusão é mesmo que não adianta justificar ou explicar algo, até porque se for brasileiro e estiver a falar português, sujeita-se a ouvir o «Oi?», como o outro senhor que perguntou...

Cliente: Passa no castelo?
Eu: sim, passa perto...
Cliente: Oi?

Não há pachorra!!!!!!!

JRC disse...

É para lhe dizer que me fez rir com aquele "gâteux" - que significa incontinente ou idoso diminuído do juizo. Era ""petit gateau" que queria dizer, bem sei.
E já agora: voltando a Portugal o seu livro está na minha lista.
Grato pelo seu sentido de humor.

menina disse...

obrigado pela correcção. mas até não estava mal;)

Ritchie disse...

Eu sou como tu... se se armam em espertos só passam a perder.
Recentemente dirigi-me a um visitante, acabadinho de vir da minha hora de almoço, e, para me demonstrar disponível, disse-lhe: “se necessitar de alguma coisa estarei à sua inteira disposição"... Sabes qual foi a resposta? "Olhe, eu perguntei alguma coisa? se eu precisar de alguma coisa... chamo-o!" e despachou-me com aquele gesto de mão do tipo "desanda".
Ele, como qualquer pessoa imbecil que se preze, precisou de ajuda durante a exposição... fez-me sinal... eu vi, fiz-me de desentendido e passei para outra área...
Mas ainda há mais... uma vez, vendo que um visitante utilizava incorrectamente um dos equipamentos da área expositiva, dirigi-me a ele e, educadamente, disse: “se me permitir dar uma ajuda" ao que ele responde “não preciso de ajuda sua nenhuma para nada” ao que eu, não me ficando, tive de responder “peço desculpa mas precisa sim, pois está a utilizar o equipamento de forma incorrecta e tenho de zelar pela manutenção de todos eles bem como pela segurança dos visitantes por isso, se me permite” e demonstrei como se fazia.
Olhou para mim com cara de mula e engoliu o que tinha dito, não sou de ferro caramba. Gentinha infeliz não achas?

CR 35 disse...

Quando o Sócrates distribuíu o Magalhães aos miúdos e à 3ªidade devia ter distribuido também um pequeno livrinho de boas maneiras e mesmo assim alguns teriam deitado para o lixo o livrinho.Agora utilizam o Magalhães mais para jogar o jogo da quinta ou do fazendeiro e a educação é para os mais novos que continuam a ser burros ,mal educados ,agressivos ,cientes que a geração rebitada deles é a melhor e que não devem lutar por uma sociedade mais equilibrada depois admiram-se de ouvir os mais velhos a clamar por um Salazar para por ordem nisto.

Anónimo disse...

Desculpem ir contra a corrente mas sem pretender ser advogada dos diabos que aqui parecem ser os clientes mas uma sobremesa que demora 15 minutos deveria ser retirada de qualquer ementa. Nem em casa para a família e/ou convidados, aliás, nem no El Bulli!

Joana Cardoso

afectado disse...

as pessoas que são mal educadas com quem as está a servir são simplesmente estúpidas (a não ser que estejam a ser muito mal servidas, claro).

pessoalmente tento sempre ser tão educado com quem me serve como sou com um amigo, com um colega, com um familiar. e até me custa a crer que exista muita gente como referes, mas só quem passa por elas como tu tem realmente noção da quantidade delas...

Rui disse...

Joana, se é assim que pensas vê-se que nunca deves ter trabalhado em restauração, e MUITO mnenos numa cozinha.
Quando foi a ultima vez que tomastes um menu de degustação de 7 ou 8 pratos??? Sabes quanto tempo passas numa sala?

treteiro disse...

Custa sempre muito constatar que a estupidez é o elemento mais comum do universo. Essas pessoas que assim falam com quem as serve são normalmente as que mais graxa dão aos seus superiores!

A Flor disse...

A categoria de uma pessoa percebe-se logo pela forma como age com aqueles que os estão a servir - era incapaz de ter uma relação com alguém assim.

Quando e como eu quiser disse...

Deves apanhar com cada um! É muito mau quando as pessoas se acham superiores só porque estão a ser servidas. Eu trato por igual, com a boa educação que merecem. E gosto de apanhar bons empregados que nos servem, perguntam se gostamos e ainda mostram um sorriso. No final esses merecem gorjeta.
Acredito que tenham que ter um enorme poder de encaixe.

Francisca Prieto disse...

Ora bem, hoje dei aqui um salto ao seu estabelecimento pela primeira vez.
E foi com um grande sorriso na cara que achei que estava a ler as "Redações da Guidinha" do Luís de Sttau Monteiro. É que a menina é a própria da Guidinha, se tivesse crescido e se se tivesse entregado ao ofício de empregada de mesa. Parabéns.

Passarei, evidentemente a ser fiel seguidora.

Vicious disse...

Também não gosto de hãs...tiram-me do sério! Trabalho numa livraria de uma grande superfície e todos os dias aturo gente idiota, com pouca noção do que quer mas com manias de quem sabe tudo. A quantidade de pessoas que não tem respeito por quem trabalha em atendimento é simplesmente inacreditável. Nem um cumprimento básico como "bom dia", nem um simples "obrigado" no final... Resta-nos saber que não estamos sozinhos, que somos bons no que fazemos e que ainda nos rimos à conta desses imbecis que por aí andam.

Parabéns pelo blog e continua a partilhar connosco as tuas histórias!

ALSM disse...

Acho que não tinha perfil para estar no teu lugar...com o meu feitio mandava-os a um sítio em três tempos!

Mas essa do Hãaannn...parte-me toda...congela-me o sangue quando dito de certas maneiras..grrr

Ana Tavares disse...

Bem eu passo aqui só para dar um olá e dizer que gostei de ver "a menina" no Cinco para a meia noite. Confesso que me identifiquei "um pouco" com a menina, porquê?
1 - sirvo à mesa e ODEIO que me tratem por "menina" e me respondam "hã?";
2 - tirei o curso de jornalismo;
3 - estou a estagiar no Público!

Ainda dizem que não há coincidências ;) beijinhos*

Capitão Microondas disse...

Descobri este pardieiro após o 5 para a meia noite. Ideia engracada a do blogue e livro. Parabéns pela participação (embora estivesse a mirar o otelo com o mesmo ar de desconfiança que deve aplicar a alguns clientes sui generis).

Cláudio disse...

Olha acabei de ver te no 5 para a meia noite e este blog e tudo o que penso sobre hotelaria trabalho no mesmo e sei bem o que e isto tudo acredita vou seguir e vou procurar o teu livro :D

Tharazia disse...

Oi V.
Vi o 5 para a meia-noite... que surpresa boa... Gostei muito. Que venha depressa a coluna no P.

Rafael Santos disse...

Vera parabéns pela tua participação no 5PMN. Além da tua simpatia, ficámos a conhecer o rosto deste extraordinário blog. Ficou por saber afinal onde é o restaurante :) Espero que continues a trazer-nos o dia-a-dia de quem serve refeições a pessoas que nem sempre vos dão o real valor.

Bjs

Rafael Santos

Anónimo disse...

trabalhas na restauração?
hummmm
e restauras o quê propriamente???

trabalhas na area alimentar ou dos restaurantes...

restauração é restaurar, mas nos compreendemos ;)

de resto estas historias sao engraçadas, embora caricatas, mas continua assim, nao sabia que em portugal o pessoal era tao tonho...

srtamini disse...

esses hã tb me irritam. E devo ser uma cliente simpática porque um empregado de mesa deu-me um chocolate no último aniversário que comemorei em restaurante :D

CR 35 disse...

Fernando Alvim e Otelo Saraiva de Carvalho no mesmo espaço com a menina Vera não é para todos, mas eu gostava mais que só desse mais Vera ,ficámos todos a conhecer quem realmente escreve o blog e cuidado agora com aquela malta que atormenta um pouco as empregadas de mesa no teu restaurante porque eles depois aliam a gorgeta ao blog e ao livro e pode ser que atinem,Obrigado e pssht..ó menina venham mais crónicas.

ana disse...

não consigo deixar de pensar "merda pah! mas porque é que eu nao fiz um blog com esta tematica?????" não consigo deixar de me identificar com isto. trabalho como gerente de uma sapataria...pessoas com fome devem ser f***, mas pelo vistos o mal ta distribuido pelas aldeias...
entram-me aqui diariamente pessoas com problemas de pés ( nomeadamente dedos tortos e pés que parecem LITERALMENTE barbatanas) eu tento aconselhar um modelo que sirva..a resposta tende a ser repetitiva "eu é que sei! mas voce sabe alguma coisa??quero falar co gerente!" a minha vontade é dizer "que ridiculo, são só uns sapatos!" mas respondo com um sorriso: "sou eu!"..e a seguir vem o agradavel som do silêncio. :)


esta gente não aprende: não se metam com quem vos serve a comida...e o resto.

gostei do blog.

Paula disse...

Muitas vezes os mais "bem parecidos" são aqueles que devem muito à educação.

→ Calipso disse...

Credo, que gente estúpida --'

osguinha disse...

ola,tambem trabalho num restaurante e muito conhecido,tal como tu se e' que posso tratar a menina por tu...ja passei pelas mais caricatas situaçoes,desde engraçadas a absurdas e ofensivas mesmo.a que melhor recordo foi a de um deputado em pleno bar a beber o seu gin and tonic enquanto esperava pela sua companhia conversava comigo e la na cabeçinha dele todas as gamelas devem ser burras por isso e´que sao gamelas...eis quando ele me pergunta se eu sabia o que queria dizer "boulangerie"?qual o seu espanto quando eu lhe respondo em 5 linguas diferentes o que queria aquilo dizer....eu respondi que la por ser empregada de mesa (e com muito orgulho no que faço) nao era burra ...muito envergonhado responde:desculpe menina nao sabia...ou seja eu sou licenciada em ciencias politicas mas o que eu gosto mesmo e' de ser gamela....viva os gamelas;)

Anónimo disse...

Vi o 5 para a meia noite, mt fixe, mesmo. Continue com este blog e com todas as suas história mirabulantes :D


Flávia Fartaria

Maxwel Quintão disse...

pssht...ó menina o teu blog [livro] é mesmo um espectáculo desejo muitos mais posts.

Já tens mais um cliente!

Ricardo P. disse...

LOL espetaculo :)

Vera Agostinho disse...

Confesso que foi o teu nome que me trouxe a este blog, mas o melhor de tudo foi conhecer a tua história pois encontrei alguem ( que além de ter o meu nome e apelido lol) que consegue colocar por escrito de uma forma tao real´, e até divertida aquilo que eu passo diariamente.. pois apesar de a "minha área" nao ser esta, as contas para pagar deram-me a conhecer a hotelaria, e nao é que gosto..obrigada por acabar o meu dia a sorrir

osguinha disse...

ola mais uma vez e' so pra dizer que comprei o teu livro e adorei,li cada pagina com um gozo especial pois tudo o que descreves sao situaçoes pelas quais ja passei e da me uma vontade de rir enorme porque ninguem imagina o que nos passamos e tambem fazemos passar....uma beijoca e....bom trabalho.

Su disse...

Realmente há pessoas mesmo intragáveis! Há que ser superior a isso por mais que custe!

Beijinhos

jccl disse...

'tou feito... :-(

despassarado que sou, o "hã?!" surge algumas vezes... sem maldade.

Quando acertar com o tasco, lá terei que ser "praxado"...

JCL

Anónimo disse...

Peço desculpa pelo comentário que nada tem a ver com o post, mas sim com outro comentário, o do Anónimo de 4 de Agosto de 2010 09:10.

RESTAURO é restaurar (pintura, talha, escultura, etc., etc.). RESTAURAÇÃO, sim, é a área dos restaurantes.

Uma conservadora-restauradora, fartinha destas confusões.

Ana disse...

Sim o "Oi?... hã?" são destestáveis!!!
mas por x também acontece o inverso,quando do fundo do balcão o empregado deita cá para fora ... "O que é que quer?" ou então acena com o queixo para cima ao mesmo tempo que olha para nós á espera que o cliente adivinhe que ele simplesmente não tem paciência para abrir a boca e perguntar: "o q que deseja?"
Ou quando entras numa loja e disses um Bom Dia/Boa Tarde e a empregada atrás do balcão nem se digna a levantar a cabeça do que está a fazer quanto mais a brir a boca para cumprimentar quem acaba de "invadir" a sua loja, que até estava tão bem vazia ...
Quando isto acontece faço sempre o mesmo, volto as costas e vou embora, porque lojas e cafés á muitos e a boa educação deviamos de ter de todos.

Anónimo disse...

Concordo com a Ana. Precisamente por já ter trabalhado em atendimento ao público sei (e bem!) o que são clientes mal educados, mas quantas vezes me deparo com funcionários mal humorados, que nem se dignam a olhar para ti quando dizes um bom dia ou te atiram o café para a frente a despachar? "Desculpe pelo trabalho que lhe estou a dar, sim..." é logo o que apetece dizer.
Mas eu sou uma pessoa educada :)

Anónimo disse...

Olá! Goatei de saber novidades tuas... É bom ver que não baixas os braços!
Beijo, Fátima (taxi, Abrantes)