sábado, 28 de agosto de 2010

oh hans christian andersen anda cá abaixo ver isto!

agora que os turistas já estão todos a fazer as malas para voltar aos seus países sem graça e nos deixam aqui neste belo portugal que eu não trocava por nenhum outro, nem sequer pela madeira, é tempo de fazermos um resumo daquilo que podem aprender com eles.
com os amigos da terra do tio sam podem aprender a aumentar o preço médio de uma refeição. já se sabe que por lá é tudo à grande. eu nunca fui aos estados unidos mas aposto que lá as crianças comem menus big mac e recebem happy meals de brinde. aqui também pedem sempre primeiro uma entrada, depois um primeiro prato e depois um segundo. e coca-cola, coca-cola, coca-cola. ah espera, mas é zero 'tá bem. e depois sobremesa e depois cappuccinos. com as gorjetas também é igual. é sempre de 10 euros para cima se formos muito simpáticos. ou se formos umas bestas, que isso para eles não interessa nada.
com os amigos do samba podem aprender a cumprimentar a malta. os brasileiros quando entram num restaurante não dizem oi só a quem os recebe, dizem a todos os empregados por quem passam. além disso têm tendência para fazer aquilo que considero uma das coisas mais inteligentes a se fazer num restaurante: dar crédito ao empregado. e com uma simples pergunta: o que é que você recomenda? na verdade, não há coisinha melhor que possam fazer do que isto. é que nós sabemos mesmo muito. sabemos o que é bom, sabemos o que nunca foi, sabemos o que sai rápido, sabemos quantos dias tem o bife. e assim ainda evita que o empregado de mesa lhe diga no final de uma comidinha mais ou menos para a próxima tem que experimentar o entrecosto, é delicioso! como quem diz: se me tivesses perguntado eu dizia-te o que era bom antes de gastares 12 euros nesse peixe desenchabido.
com os nuestros hermanos podem aprender a não aquecer as cadeiras. aquilo é que é comer e andar. mas não aprendam mais nada com eles. por favor. a sério.
agora com les monsieurs et les madames podem aprender a poupar dinheiro em água. eu também nunca fui a frança mas duvido que haja por lá garrafas de água. ou pelos menos que eles as comprem. quando pergunto a um casal de franceses se querem beber alguma coisa assim que chegam, a resposta é invariavelmente a mesma: dois cópós de águá de la tórnéirá. e depois vinho de 30 euros a garrafa que é para compensar o sabor a cloro.
com os ingleses podem aprender a falar inglês com aquele sotaque bond delicioso. só.
mas ainda que os turistas tenham sempre alguma coisa para ensinar, também há alguns com coisinhas para aprender. como aquele casal de dinamarqueses que foi lá almoçar num destes domingos. eram as únicas pessoas dentro do restaurante: ele e ela. o filho dos dois, um bebé de pouco mais de 6 meses ficou no carrinho, estacionado à porta do restaurante. depois de alguma admiração, começámos a ficar chateados com a coisa. e lá fui eu: excuse me sir, pode trazer o carrinho para dentro do restaurante, não há problema nenhum. - ok, thank you. e nada. continuaram sentados no fresquinho do ar condicionado a beber cervejinha. o meu colega foi lá tirar os pedidos e voltou irritado: pô eu vou dar na cara deles! e lá fui eu: excuse me sir, se quiser eu desligo a música para não acordar o bebé. -no, that's ok, thank you. e lá fiquei eu e meu colega à porta do restaurante, cada um com um olho fofinho no bebé e outro de desdém nos pais até os senhores se meterem a andar. eu também nunca fui à dinamarca, mas agora já sei que os mais felizes da europa para além de legos, devem ter sinais de "bebé não entra" à porta dos estabelecimentos.
bem, já viram a ideia que dois dinamarqueses tótós nos fazem ter dos restantes 5 475 789? pois é, então portem-se bem lá fora ou paguem o silêncio dos empregados de mesa com boas gorjetas.
coisa que este casal claramente não fez.

ilustração de Manel Cruz

23 comentários:

v_crazy_girl disse...

Fiquei sem palavras... Deixar o bebé à porta!? Mas esta gente bate bem da cabeça? Só falta pôr um sinal no carrinho e dizer "podem-me levar que os meus pais estão no ar condicionado e não saiem de lá nem que me roubem". Vai lá vai!

Mais uma vez ADOREI este post!

Anónimo disse...

Ri-me às bandeiras despregadas com este post!

Ana disse...

Nem dá para acreditar! Mas ficamos a saber: na Dinamarca não se roubam crianças! Ou então esses dois não batem mesmo bem da bola.

Angelo disse...

Belíssimo post, sem dúvida!

E, sim, na América é tudo à grande e à americana. Nunca mais me esqueço de ver bisontes autênticos a mamar hamburgers, batatas fritas, panquecas, bacon frito e "sodas" logo de manhã! E depois pavoneavam-se por ali em motoretas eléctricas!!!

Querem ver que os franceses exportam a Evian toda?!

treteiro disse...

é caso para dizer que gente parva há em todo o lado. 8O

Anónimo disse...

Excelente..aqui em Inglaterra poe-se trelas nas criancas...para nao fugirem! Culturas diferentes! Beijinhos Vera!
Selma

sandra ramos disse...

Delicio-me com os teus post!
Estou sempre á espera do próximo ... e sou sempre surpreendida :) obrigada

Monica disse...

Essa do bébé é inédita!!!
Sinceramente...

Anónimo disse...

Primeiro queria dizer à menina que sou seu fã desde a semana passada em que um link me levou até si...
Sou casado, tenho filhos mas isso não me impede de muito castamente a ADORAR! e de me RIR com a sua inteligência e sentido de humor.
Quanto aos dinamarqueses já tinha ouvido que é muito normal deixarem os filhos à porta dos estabelecimentos aonde entram. Porém a explicação era a de que os estabelecimentos estão demasiado aquecidos e que o bebé está vestido para o frio e por causa do vestir/despir, frio/calor o deixam à entrada....

Carolina/e disse...

é habitual nos países escandinavos. seja no verão ou no inverno, há sempre filinha de carrinhos com bebés a dormir a porta de restaurantes. a verdade é que aqui a natalidade é tão promovida que se os carrinhos de bebé entrassem todos não havia espaço para o pessoal se sentar... (já nos passeios é slalom entre carrinhos e grávidas!)

Bernardo disse...

Enfim

ALSM disse...

Essa do bebé...WTF?!?!?

nana disse...

Em França qualquer mesa de restaurante tem pratos, talheres, etc e um jarro de agua. Para eles tira a sede, naturalmente, mas, principalmente limpa o palato.

Anónimo disse...

Em França (Paris, pelo menos) a água não se paga. Sempre que pedes água (excepto se lhes berrares que queres água de garrafa) eles trazem-te uma caneca de água da torneira que não é cobrada.

papoila disse...

AVISO: Na Dinamarca é comum deixar os bébes à porta, eles não têm problemas de segurança, ´são uma sociedade completamente diferente da nossa, as pessoas vivem todas muito bem e não há diferenças de classe o que leva a que não se sintam com necessidade de roubar!!!! Interessante, não achas?
Quanto a esse casal, limitou-se a fazer o que se faz nos países nórdicos,os bébes ficam à porta das lojas, armazéns e bares... e não correm qualquer risco.
O que está errado é eles não saberem que por aqui não é bem assim...

Igor disse...

Na Finlandia também deixam os bebés na rua, com temperaturas negativas até, por vários dos motivos que aqui já foram ditos... parece-nos estranho mas é verdade... assim como pode parecer estranho que na Finlandia, um aluno na faculdade só tenha aulas, no máximo, até às 4h e receba, no minimo, 400€ por mês... sim, o ensino nao é gratuito, é subsidiado mesmo :P recebe-se, nao se paga proprinas, e depois as faculdades têm coisas estranhas como ginasios, saunas, piscinas, pavilhões de futsal, salas de dança... eu achei tudo muito estranho... mas é verdade, esta realidade existe e sabem o mais engraçado de tudo... eles gostam de pagar impostos :) e se descobrirem que alguem foge com os seus fazem uma coisa ainda mais bizarra, denunciam... ...

Mais uma vez, Parabens, o post está muito engraçado :)

vanda f. disse...

Quando viajar, já sei, "em roma sê (serei) romano (a)" :)

O Cidadão abt disse...

Pssht..ó menina!

É para lhe comunicar que cá o Cidadão abt ouviu com bastante interesse a entrevista concedida à sua ex-colega Joaninha Carvalho da Antena Livre!

Foi agradável saber daquela sua justificação de se meter nestas andanças blogueiras, motivada pelo gosto e vício de escrever!

Fique ciente que vai para uns tempitos, por recomendação cá da Companheira de aventuras, depois de ter ouvido outra entrevista sua dada no programa "Hotel Babilónia", com Pedro Rolo Duarte e João Gobern, na Antena 1, o link do seu blogue foi incluído nos jeitosos deste rapaz, secção das "meninas".

Tem feito um bonito serviço, sim senhora!

Parabéns, e um beijito pr'á menina!

jccl disse...

Ainda os bébes dinamarqueses...

Como por aqui foi dito, é hábito deles. Mas imprudência num país que não é o seu, nem tem as suas condições (de segurança e outras...).

Mas não é caso inédito.

Em Nova Iorque, há alguns anos atrás, uma dinamarquesa fez um mesmo à entrada de uma loja/café. Depois de avisada (e mesmo instada) várias vezes pelos funcionários e nada ter feito (a exemplo do que é relatado) foi chamada a polícia. A polícia deteve a Senhora, o Bebé foi entregue aos cuidados da assistência social e a Senhora foi presente a um Juiz (em pânico, ela, não o Juiz...) que avaliou face à Lei do Estado (e Federal, suponho) se era comportamento negligente da Mãe ou não.

O caso deu um brado enorme, meteu diplomacia pelo meio e serviu de aviso para os dinamarqueses que se deslocam para fora do seu País.

Não me lembro dos detalhes, mas a Senhora Mãe demorou bastante tempo a convencer, quer a assistência social, quer os Juízes que seguiram o caso de que era capaz de cuidar do filho. Demorou bastante mais de um mês, salvo erro.

Pelos vistos, esqueceram-se outra vez desses detalhes fora de portas...

Rafael Santos disse...

Na verdade, estamos sempre a aprender!!!! Já agora falta-me aprender onde é o restaurante.... :P

CR 35 disse...

Os dinamarqueses foram espertos,arranjaram uns quantos empregados de mesa que ao mesmo tempo os serviam ,também lhes tomavam conta da criança e ficavam a saber se a cuja estava bem quando lhes sugeriam a sua entrada no restaurante, pssht..ó menina a bébé precisa de algo?

Paulo Pacheco disse...

Espectacular!!

Frutinha disse...

A serio pah? olha sao parvos os dinamarqueses...