quinta-feira, 2 de junho de 2011

então e hoje o que é que vai ser?

ontem fez 4 anos que me tornei empregada de mesa.
hoje faz 4 anos que decidi que não queria fazer outra coisa.
e ainda hoje é um amor incompreendido.

12 comentários:

Dorushka disse...

Muitos parabéns! Já sou leitora do blog há algum tempo (e agora também do Buááá...) e admiro-a por fazer aquilo que realmente gosta, ainda que isso lhe valha algumas críticas por parte da família e amigos. Acho que a nossa sociedade precisa de uma revolução de mentalidades a muitos níveis, mas principalmente a este, pois não se compreende, ou pelo menos eu não compreendo, que, na actual conjuntura económica e social, as pessoas continuem a achar que o mais importante é ter "um canudo", seja em que àrea for e mesmo que não lhe suscite qualquer interesse. Para mim, o importante é que façamos aquilo que nos dá prazer e, de preferência, que sejamos (bem) pagos para fazê-lo.
Mais uma vez, parabéns pela coragem! E boa sorte nesta nova, e mais importante, etapa da sua vida: ser mãe!

Piston disse...

Segue em frente e não olhes para trás.

Cláudio disse...

Eu ja trabalhei perto de 2 anos como empregado de mesa não digo que gosto mas também não digo que não gosto
mas admiro quem trabalha nesta área por gosto...

Marta FG disse...

Gostaria de lhe dizer que é sempre bom fazermos o que gostamos...compreendo-a perfeitamente a nível de críticas, uma vez que também já o senti na pele.

Parabéns pelo blog e por ser mãe!

www.viajarso.blogspot.com

Angelo disse...

E parabéns! Sabes que bem todas as boas decisões são compreendidas...

Bárbara disse...

Acho óptimo que goste daquilo que faz. Até ler este blog não sabia que ser empregada de mesa podia ser tão engraçado. Pelo menos a forma como (d)escreve (muito bem) essa vivência.

Aquarius disse...

Continua a fazer o que gostas e não deixes de escrever também.
Nós gostamos de ler a nossa "Anthony Bourdain", versão tuga :)

Panda disse...

Eu que já fui empregada de mesa durante muitos anos e que também sou licenciada em Comunicação Social mas a trabalhar numa loja também não compreendo esse amor. :D

Otário disse...

como todos os amores né? ;)
4 anos é muito tempo,
pode ser que essa incompreensão seja finalmente compreendida.. ;)

S* disse...

Deve ter a sua graça...

Ana Pinheiro disse...

Nos dias que correm, trabalharmos naquilo que gostamos é um privilégio :).

Beijo

..:: dari ::.. disse...

Acho que compreendo.

Onde trabalhei (pizzaria das mais conhecidas, mas em Faro, que nem se deve comparar à loucura de um restaurante de Lisboa x.x), apesar do trabalho lá ser puxado, de ter uma gerente malvada (que tinha dias bons também, mas escassos...), detestar a pressão das horas de "lodo" e todas as coisas chatas e limpezas até depois da loja fechar, como tive a sorte de ter colegas espectaculares e boas sub-gerentes e adorava contactar com os clientes (apanha-se muito boa gente, que supera em muito as pessoas mais carrancudas e difíceis), valeu bem a pena.
Todas as minhas pizzas foram feitas com algum carinho.

Já lá não estou e sinto saudades, apesar de todas as arrelias que apanhei ^^